Bolsa de Iniciação Científica em Bioquímica

Scientific Initiation Fellowship in Biochemistry

Nº: 2411

Área de conhecimento: Biologia Geral

Field of knowledge: General biology

Nº do processo FAPESP: 2017/23933-3

FAPESP process: 2017/23933-3

Título do projeto: Identificação e caracterização de proteínas de membrana envolvidas no transporte e metabolismo de ferro em Leishmania.

Project title: Identification and characterization of membrane proteins involved in iron transport and metabolism in Leishmania.

Área de atuação: Parasitologia, Bioquímica, Biologia Molecular e Celular

Working area: Parasitology, Biochemistry, Molecular and Cell Biology

Quantidade de vagas: 1

Number of places: 1

Pesquisador principal: Maria Fernanda Laranjeira da Silva

Principal investigator: Maria Fernanda Laranjeira da Silva

Unidade/Instituição: Instituto de Biociências - USP

Unit/Instituition: Instituto de Biociências - USP

Data limite para inscrições: 31/03/2019

Deadline for submissions: 2019-03-31

Publicado em: 04/10/2018

Publishing date: 2018-10-04

Localização: Rua do Matão travessa 14, 101, sala 216 - Depto de Fisiologia, São Paulo

Locale: Rua do Matão travessa 14, 101, sala 216 - Depto de Fisiologia, São Paulo

E-mail para inscrições: mfernandals@gmail.com

E-mail for proposal submission: mfernandals@gmail.com

  • Resumo Summary

    O aluno de iniciação científica irá identificar e caracterizar novos genes envolvidos no transporte e metabolismo de ferro, e potencialmente outros metais de transição, em Leishmania a partir da análise de transcriptomas de parasitas privados de ferro. O conhecimento das vias relacionadas ao transporte e metabolismo de ferro é essencial para a compreensão da fisiologia desses parasitas e da relação desse parasita com seus hospedeiros, além de levar a determinação de novos alvos terapêuticos e potencialmente auxiliar no desenvolvimento de novos quimioterápicos contra as leishmanioses.

    Pré-requisitos:

    • Bioquímica
    • Biologia Molecular

    Resumo do projeto

    Os protozoários do gênero Leishmania são responsáveis pelas doenças genericamente conhecidas como leishmanioses que afetam seres humanos em todo o mundo. Esses organismos são parasitas digenéticos que na fase intracelular do seu ciclo de vida são chamados de amastigotas e residem no vacúolo parasitóforo dos macrófagos de mamíferos. Os processos que levam à diferenciação da forma promastigota, encontrada no inseto vetor, para a forma amastigota são alvos de muitos estudos, uma vez que as amastigotas são capazes de sobreviver e replicar nos macrófagos, apesar do arsenal de defesa dessas células. Uma das condições críticas encontrada pela Leishmania no macrófago é a carência de nutrientes, dentre eles o ferro, fundamental como cofator de diversas enzimas essenciais para o parasita. A identificação e estudo de genes essenciais para o transporte de ferro por esses parasitas revelaram que a disponibilidade de ferro tem um papel central na geração de amastigotas infectivos.

    A privação de ferro induz a expressão de uma série de genes cuja função ainda é desconhecida gerando uma excelente oportunidade para a identificação de componentes adicionais da maquinaria molecular responsável pela aquisição, armazenamento e utilização de ferro nesses parasitas. Assim, este projeto tem por objetivo identificar e caracterizar novos genes envolvidos no transporte e metabolismo de ferro, e potencialmente outros metais de transição, em Leishmania a partir da análise de transcriptomas de parasitas privados de ferro. O conhecimento das vias relacionadas ao transporte e metabolismo de ferro é essencial para a compreensão da fisiologia desses parasitas e da relação desse parasita com seus hospedeiros, além de levar a determinação de novos alvos terapêuticos e potencialmente auxiliar no desenvolvimento de novos quimioterápicos contra as leishmanioses.

    The scientific initiation student will identify and characterize new genes involved in the transport and metabolism of iron, and potentially other transition metals, in Leishmania through the analysis of transcriptome data of iron-deprived parasites. Identification of the pathways related to iron transport and metabolism is central for understanding the physiology of these parasites and the interaction of this parasite with its hosts, besides pointing novel therapeutic targets that can potentially help in the development of better chemotherapies against leishmaniasis.

    Requirements:

    • Biochemistry
    • Molecular Biology"

    Protozoan parasites of the genus Leishmania are responsible for diseases generally known as leishmaniasis that affect millions of humans around the world. These organisms are digenetic parasites that during the intracellular phase of their life cycle are called amastigotes. The amastigote form inhabits the parasitoforous vacuoles of the mammalian macrophages. The processes leading to the differentiation of the promastigote form, found in the insect vector, to the amastigote form are the subject of many studies, since the amastigotes are able to survive and replicate inside macrophages despite their cell defense arsenal. One of the conditions found by Leishmania in the macrophage is the lack of nutrients such as iron, which is the cofactor of several enzymes essential for Leshmania.

    The identification and study of genes related to the transport of iron by these parasites revealed that the availability of iron plays a central role in the generation of infective parasites. Iron deprivation modulates the expression of several non-characterized genes, providing an excellent opportunity for the identification of additional components of the molecular machinery responsible for iron acquisition, storage and metabolism in these parasites. Thus, this project aims to identify and characterize new genes involved in the transport and metabolism of iron, and potentially other transition metals, in Leishmania through the analysis of transcriptome data of iron-deprived parasites. Identification of the pathways related to iron transport and metabolism is central for understanding the physiology of these parasites and the interaction of this parasite with its hosts, besides pointing novel therapeutic targets that can potentially help in the development of better chemotherapies against leishmaniasis.