Empreendedores e institutos da saúde se reúnem na FAPESP

30 de outubro de 2017

Claudia Izique  |  Agência FAPESP – Empreendedores interessados em participar de chamada conjunta dos programas Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) e Pitch Gov.SP reuniram-se na segunda-feira (30/10) na FAPESP para esclarecer dúvidas sobre procedimentos e regras de submissão de propostas.

Resultado de uma parceria entre a FAPESP e a Secretaria de Governo do Estado de São Paulo, a chamada disponibiliza até R$ 10 milhões para apoiar projetos de pesquisa que ofereçam soluções para um dos 55 desafios propostos por nove instituições de Saúde no âmbito do Pitch Gov.SP.

O prazo de submissão encerra-se em 4 de dezembro e o anúncio das propostas selecionadas está previsto para 24 de maio de 2018. Os projetos submetidos à fase 1 do PIPE contarão com até R$ 200 mil por um período máximo de nove meses para demonstrar a viabilidade técnica de seu projeto de pesquisa. Os projetos aprovados para a fase 2 terão até R$ 1 milhão para o desenvolvimento da pesquisa propriamente dita em até 24 meses.

“O objetivo dessa parceria é alavancar empresas e demandas de órgãos vinculados ao Conselho de Ciência, Tecnologia & Inovação em Saúde [CCT&I-Saúde] do Estado de São Paulo”, explicou Sueli Gonsalez Saes, secretária executiva do CCT&I-Saúde e diretora do Grupo de Planejamento e Incorporação de Tecnologias da Secretaria de Estado da Saúde. Participaram do encontro dirigentes de todas as instituições de pesquisa envolvidas na chamada.

Entre os seis desafios apresentados pelo Instituto Pasteur a startups, por exemplo, está o desenvolvimento de kit para o diagnóstico da raiva por método imuno-histoquímico rápido. O Hospital das Clínicas, por sua vez, fez uma lista de oito desafios: desenvolvimento de materiais radiologicamente equivalentes ao tecido humano, de instrumentos de medição acoplados a vias de circulação de sangue, de aparelhos de ultrassom de baixo custo, entre outros.

A lista completa das oito instituições e dos 55 desafios está disponível em www.fapesp.br/chamadas/2017/pitchgov/anexo1.pdf.

Sérgio Queiroz, membro da Coordenação Adjunta de Pesquisa para Inovação da FAPESP, sublinhou que a chamada conjunta segue as mesmas regras dos demais editais do PIPE: poderão apresentar propostas empresas com até 250 empregados, com unidade de pesquisa e desenvolvimento no Estado de São Paulo. Os empreendedores interessados em submeter propostas ao PIPE não precisam ter empresas formalmente constituídas, desde que isso ocorra até a data da assinatura do termo de outorga.

“Queremos somar a expertise das instituições de saúde com a iniciativa de startups para obter bons resultados para a pesquisa e para a economia”, resumiu Eduardo Azevedo, assessor da Secretaria de Governo do Estado de São Paulo. “Nesta segunda edição do Pitch Gov.SP, propusemos parceria à FAPESP e identificamos a saúde como a área de governo mais interessante para um edital conjunto.”

O Pitch Gov.SP é uma iniciativa lançada em 2015 pelo Governo do Estado de São Paulo em parceria com a Associação Brasileira de Startups. O objetivo é identificar soluções inovadoras desenvolvidas por pequenas empresas de base tecnológica para enfrentar os desafios da administração pública nas áreas de Educação, Estatística e Análise de Dados, Finanças Públicas, Habitação, Saneamento e Energia, Saúde, Transparência e Transportes. Ao todo, serão selecionadas 16 startups para resolver problemas desses setores.