Boas Práticas Científicas

Processo 13/239

Pesquisador denunciado: Marcelo de Bello Cioffi
Instituição: Universidade Federal de São Carlos – UFSCAR

Em agosto de 2013, a FAPESP tomou conhecimento de alegação de más condutas científicas que teriam sido praticadas pelo Dr. Marcelo de Bello Cioffi, pesquisador no Departamento de Genética e Evolução do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde – CCBS da Universidade Federal de São Carlos – UFSCAR. Segundo a alegação, o denunciado teria reutilizado imagens publicadas em trabalhos de que é coautor em outros trabalhos de que é coautor, sem fazer referência a isso nos trabalhos.

Em 13 de novembro de 2013, a FAPESP notificou o CCBS da existência e natureza da alegação, a fim de que fossem tomadas as providências previstas na seção 6 do Código de Boas Práticas Científicas da FAPESP. Em 24 de abril de 2014, a FAPESP solicitou à instituição de pesquisa informações sobre o andamento das investigações.

Em 6 de maio de 2014, a instituição informou à FAPESP que, após avaliação preliminar da alegação, havia sido constituída comissão encarregada de conduzir processo de investigação formal dessa alegação.

Em 15 de setembro de 2014, a instituição informou à FAPESP que a Comissão de Apuração Formal então constituída havia concluído seus trabalhos. Em 11 de novembro de 2014, após solicitação da FAPESP, a instituição encaminhou cópia do parecer final elaborado por essa comissão. O exame desse parecer pela FAPESP evidenciou que o processo investigatório se realizou de maneira justa e rigorosa, tendo sido ouvido o denunciado e respeitados seus direitos de defesa e presunção de inocência.

A comissão concluiu que:

1) Houve utilização das mesmas imagens em trabalhos diferentes, sem que isso tivesse sido expressamente indicado nesses trabalhos.

2) No caso de um dos trabalhos, houve, em uma figura, inserção digital de um cromossomo que não estava presente na figura originalmente publicada em outro trabalho.

3) A reutilização de figuras em trabalhos diferentes não constituiu, por si só, má conduta científica, já que foram utilizadas com fins diferentes em trabalhos com temáticas diferentes.

4) Na área de pesquisa em causa, não há limites bem definidos sobre o quanto figuras podem ser aceitavelmente modificadas, mediante a substituição de cromossomos por outros mais nítidos

5) O procedimento mais recomendável teria sido o denunciado indicar expressamente a reutilização das figuras e justificar expressamente a modificação da figura alterada.

6) Em suma, não houve má conduta científica grave e intencional, embora o denunciado não tivesse adotado procedimentos que teriam sido os mais recomendáveis nas situações em causa.

As conclusões da comissão foram avalizadas pela UFSCAR, após análise por sua Procuradoria.

Em 5 de maio de 2015, a FAPESP enviou ao denunciado, para ciência e eventual manifestação, no prazo de 30 (trinta) dias, cópia do parecer da comissão. O denunciado não se manifestou.

Em 25 de julho de 2019, após analisar todas as peças do processo, a FAPESP declarou não haver evidências de que o denunciado tenha praticado más condutas científicas, especialmente levando em conta que as legendas das figuras em causa são adequadas ao que representam. No entanto, a FAPESP advertiu-o para que, no futuro, adote procedimentos mais rigorosos de informação de fontes nos casos de reutilização de figuras para fins distintos e modificação de figuras, ainda que aceitáveis.

Em 12 de agosto de 2019, a FAPESP encaminhou ao denunciado cópia de sua Declaração Decisória, para ciência e eventual manifestação, no prazo de 30 (trinta) dias. O denunciado não se manifestou.

Data de publicação no site da FAPESP: 01/10/2019.

[manter na página por 12 meses desde a data da publicação]


Página atualizada em 01/10/2019 - Publicada em 01/10/2019