Boas Práticas Científicas

Processo 14/330

Pesquisadores denunciados: Daniela M.L. Tsukumo; Marco A. Carvalho-Filho; José B.C. Carvalheira; Patrícia O. Prada; Sandro M. Hirabara; André A. Schenka; Eliana P. Araújo; José Vassallo; Rui Curi; Lício A. Velloso; Mario J.A. Saad.

Instituição: Universidade Estadual de Campinas

Em setembro de 2014, a FAPESP tomou conhecimento de alegação de má conduta científica (manipulação de imagens) que teria sido praticada pelos autores do artigo abaixo mencionado, resultante de pesquisa apoiada pela FAPESP e realizada na Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP.

Daniela M.L. Tsukumo; Marco A. Carvalho-Filho; José B.C. Carvalheira; Patrícia O. Prada; Sandro M. Hirabara; André A. Schenka; Eliana P. Araújo; José Vassallo; Rui Curi; Lício A. Velloso; Mario J.A. Saad, Loss-of-Function Mutation in Toll-Like Receptor 4 Prevents Diet-Induced Obesity and Insulin Resistance, Diabetes 56 (8) (2007), 1986-1998.

Em 21 de outubro de 2014, a FAPESP notificou a UNICAMP da existência e natureza da alegação e solicitou que tomasse as providências previstas na seção 6 do Código de Boas Práticas Científicas da FAPESP.

Em ofício datado de 2 de dezembro de 2014, a UNICAMP encaminhou à FAPESP o Relatório Final da Comissão de Sindicância constituída pela Reitoria da instituição para a apuração da alegação, relatório datado de 26 de junho de 2014. O teor desse relatório revela que a investigação foi realizada de maneira justa e rigorosa, respeitados os direitos de defesa e presunção de inocência dos denunciados.

Após análise das imagens alegadamente manipuladas, oitiva dos depoentes e análise de documento encaminhado à Comissão pelo autor correspondente do artigo em causa, Dr. Mario José Abdalla Saad, o relatório da Comissão afirmou ter havido splicing em cinco figuras constantes do artigo em causa, mas sem que isso alterasse as conclusões apresentadas nesse artigo. Afirmou também ter havido duplicação em três bandas de uma figura, não tendo sido possível confirmar a ocorrência de duplicação de outras três.

A Comissão concluiu terem ocorrido problemas de identificação, estocagem e manejo de imagens de géis no laboratório em que foi realizada a pesquisa que resultou no artigo em causa, problemas que geraram erros na apresentação de figuras. Concluiu, porém, não haver evidências de que esses erros tenham sido intencionais e tenham comprometido os resultados apresentados no artigo.

A Comissão recomendou que fossem revistos os protocolos de identificação, estocagem e manejo de imagens utilizados no laboratório em questão e que os manuscritos produzidos nesse laboratório fossem sempre detalhadamente revistos pelo pesquisador responsável e outros pesquisadores experientes.

Em ofício datado de15 de maio de 2015, a UNICAMP informou à FAPESP que o artigo em causa tinha sido objeto de nova sindicância. Em ofício datado de 6 de agosto de 2015, encaminhou à FAPESP o Relatório Final da Comissão constituída para realizar essa sindicância, relatório datado de 11 de abril de 2015. O teor desse relatório revela que a investigação foi realizada de maneira justa e rigorosa, respeitados os direitos de defesa e presunção de inocência dos denunciados.

A Comissão afirmou ter havido manipulação nas bandas de uma das figuras em causa e terem sido duplicadas três dessas bandas. Segundo o relatório, a primeira autora assumiu a responsabilidade pelo erro. A Comissão afirmou não haver evidências de que o erro tenha sido intencional e tenha comprometido os resultados apresentados no artigo. A Comissão afirmou também ter havido manipulações em outras figuras, mas manifestou dúvidas em relação à admissibilidade dessas manipulações na época da publicação do artigo. Em nenhum desses casos a Comissão encontrou evidências de má conduta intencional.

Em abril de 2016, o artigo em causa foi retratado pelo periódico em que foi publicado.

Em 24 de março de 2017, a FAPESP encaminhou aos denunciados cópia do relatório da Comissão, para ciência e eventual manifestação. Em carta datada de 3 de maio de 2017, o autor correspondente do artigo em causa, Dr. Mario José Abdalla Saad, encaminha sua manifestação à FAPESP. O pesquisador reiterou terem ocorrido erros não intencionais, que não prejudicaram o valor científico das conclusões expostas no artigo.

Em 24 de junho de 2019, após analisar todas as peças do processo, com base nas conclusões das sindicâncias realizadas pela instituição, a FAPESP declarou terem ocorrido erros na utilização de figuras no artigo em causa. Declarou que esses erros não configuram má conduta científica grave, pois não há evidências de terem sido cometidos de má-fé. Declarou que os erros cometidos indicam descuido dos pesquisadores na identificação, estocagem, manuseio, supervisão e revisão de dados antes da preparação e submissão de trabalhos científicos.

A FAPESP observou que outros dois artigos do mesmo autor correspondente foram objetos de processos de investigação por razões similares, processos que chegaram a conclusões similares:

Alexandre G. Oliveira; Bruno M. Carvalho; Natália Tobar; Eduardo R. Ropelle; José R. Pauli; Renata A. Bagarolli; Dioze Guadagnini; José B.C. Carvalheira; Mario J.A. Saad, Physical Exercise Reduces Circulating Lipopolysaccharide and TLR4 Activation and Improves Insulin Signaling in Tissues of DIO Rats, Diabetes 60 (3) (2011), 784-796. (Processo Administrativo FAPESP 16/162).

Andréa M. Caricilli; Paty K. Picardi; Lélia L. de Abreu; Mirian Ueno; Patrícia O. Prada; Eduardo R. Ropelle; Sandro Massao Hirabara; Ângela Castoldi; Pedro Vieira; Niels O. S. Camara; Rui Curi; José B. Carvalheira; Mário J. A. Saad, Gut Microbiota Is a Key Modulator of Insulin Resistance in TLR 2 Knockout Mice, PLOS Biology (Online) 14 (5), e1002479, DOI 10.1371/jornal.pbio.1002479. (Processo Administrativo FAPESP 16/155).

Levando em consideração o número e a recorrência dos erros constatados, a FAPESP advertiu o autor correspondente dos artigos pelas deficiências evidenciadas no processo de realização das pesquisas e preparação de trabalhos científicos. Registrou que o pesquisador esteve preventivamente impedido de receber auxílios da FAPESP desde o início do processo de investigação até a presente data.

Em 31 de julho de 2019, a FAPESP encaminhou aos denunciados cópia de sua Declaração Decisória, para ciência e eventual manifestação, no prazo de 30 (trinta) dias. Os denunciados não se manifestaram.

Data de publicação no site da FAPESP: 11/10/2019.

[manter na página por 12 meses desde a data da publicação]


Página atualizada em 11/10/2019 - Publicada em 11/10/2019