Bolsa de PD em Psiquiatria e Psicologia na Educação

Post-doctoral Fellowship in Psychiatry and Psychology in Education

Nº: 3158

Área de conhecimento: Educação

Field of knowledge: Education

Nº do processo FAPESP: 2018/26699-4

FAPESP process: 2018/26699-4

Título do projeto: Saberes e práticas em fronteiras: por uma história transnacional da educação (1810-...)

Project title: Knowledges and practices at the borders: for a transnational history of education (1810 - …)

Área de atuação: Educação

Working area: Education

Quantidade de vagas: 1

Number of places: 1

Pesquisador principal: Ana Laura Godinho Lima

Principal investigator: Ana Laura Godinho Lima

Unidade/Instituição: FEUSP

Unit/Instituition: FEUSP

Data limite para inscrições: 31/10/2019

Deadline for submissions: 2019-10-31

Publicado em: 10/09/2019

Publishing date: 2019-09-10

Localização: Av. da Universidade, 308, São Paulo

Locale: Av. da Universidade, 308, São Paulo

E-mail para inscrições: alglima@usp.br

E-mail for proposal submission: alglima@usp.br

  • Resumo Summary

    Está aberta uma posição de Pós-Doutorado junto à Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. A posição é ligada ao Projeto Temático FAPESP intitulado “Saberes e práticas em fronteiras: por uma história transnacional da educação (1810-...)”, coordenado por Diana Gonçalves Vidal.

    No âmbito desse projeto, estão abertas as inscrições para candidaturas ao desenvolvimento do subprojeto “Classificações e Limites: o trânsito e a multiplicação dos diagnósticos entre as disciplinas, da psiquiatria e psicanálise à educação”.

    O projeto aqui delineado pretende investigar as formas de presença das classificações e diagnósticos oriundos da Psiquiatria e Psicanálise, nos discursos educacionais. Como se dão os processos de incorporação dos saberes nestes casos? Quais os sentidos que assumem as classificações médicas e psicológicas/psicanalíticas ao serem incorporadas à educação?

    Parte- se da hipótese de que frequentemente recorre-se a esses saberes para desafiar as tradições pedagógicas e para legitimar inovações nas práticas educacionais.

    A pesquisa toma como marco inicial a década de 1950, estende-se aos nossos dias e vale-se de fontes tais como periódicos de psicologia de grande circulação/divulgação, periódicos especializados em psiquiatria, psicanálise e educação e as diversas edições do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM), além de livros de psicologia destinados à formação de professores.

    Muito já foi dito sobre as formas pelas quais circulam e são apropriadas as informações da psicologia e as explicações científicas de modo geral. As publicações de grande tiragem, a internet e outras mídias colocam ao alcance de grande parcela da população o que antes era do domínio de especialistas.

    Como sabemos, novas narrativas se configuram e contribuem para alterar de modo mais ou menos rápido as formas de educar e conviver. Também na mesma esteira, mas no terreno específico dos campos científicos, as fronteiras entre as disciplinas tornam-se, em muitos casos, mais porosas, isto é, as transferências, integrações e traduções, dentre outros processos, ocorrem de maneira mais frequente e intensa e os domínios de saberes reconfiguram-se continuamente.

    No quadro dessas constatações insere-se o interesse pela forma como as tentativas de nomeação/classificação médicas (psiquiátricas) e psicoterapêuticas em sentido amplo transitam e habitam os discursos educacionais.

    A questão não é nova (Patto, 2000; Seixas, 2009; Lima, 2018 entre outros) e tem sido analisada sob diversos ângulos. Um exame detido da trajetória de incorporações das áreas citadas pela educação pode, de um lado, evidenciar traços das lutas entre disciplinas e de outro os modos de assimilação conceitual e teórica vigentes na área dos estudos educacionais. Se acompanharmos nos últimos 50-60 anos as iniciativas de nomeação / classificação / quantificação presentes na Psicologia podemos compreender muitas das presenças de categorias de classificação e propósitos de diagnósticos derivados para o trato dos alunos nas escolas.

    Um estudo detido das configurações de questões diagnósticas e educativas associadas às práticas médicas e pedagógicas pode hoje beneficiar-se, por exemplo, do exame da circulação desses conhecimentos em periódicos especializados e destinados ao grande público (Mente e Cérebro, Psique etc.). Assim, a hipótese de selecionar, por exemplo, revistas da área de psiquiatria e psicologia e revistas da área de educação para o estudo sistemático das questões referidas, pode ser um meio produtivo de entendimento.

    Do mesmo modo, a análise de livros de psicologia hoje destinados à formação de professores pode ajudar a elucidar os processos aqui descritos. Estas fontes podem também fornecer indícios para compreender como e por que as relações entre as duas áreas tem florescido de modo tão intenso na educação e originado, muitas vezes, práticas de ensino cujos resultados e impacto sobre os sujeitos/alunos são de difícil imputação/avaliação. Fronteiras e sua mobilidade vêm à cena nessas proposições.

    Limites, fugas e contrapontos: limítrofes, autistas e não passíveis de integração. Quem são estes sujeitos, quem são os alunos, assim muitas vezes injustamente classificados? Seria possível conter a vaga diagnóstica, o ímpeto classificatório e interagir/descobrir/inventar modos de lidar com sujeitos/alunos?

    Alguns desses propósitos devem nortear a pesquisa aqui delineada. Assim, o pesquisador de pós-doutorado deter-se-ia nas seguintes atividades: (i) Identificar nas revistas de grande circulação de que forma as informações de psicologia e psiquiatria disseminam-se e deixam de ser domínio de especialistas. (ii) Examinar a presença e a apropriação de tais fontes no âmbito da educação mediante o estudo de revistas pedagógicas. (iii) Desenvolver um trabalho de campo na França, onde os diagnósticos de autismo e déficit de atenção são objeto de inúmeros debates evidenciando interfaces articuladas às questões políticas, escolares e psicanalíticas. Compreende-se, deste modo que, as atribuições do bolsista serão realizadas de forma articulada aos principais pesquisadores do Eixo III, ainda que existam interfaces com a produção teórica dos demais professores que compõem aqui o Projeto Temático.

    Inscrição:

    Interessados (as) na vaga devem entrar em contato com a Profª Ana Laura Godinho Lima por e-mail (alglima@usp.br), comunicando que gostariam de participar do processo seletivo, incluindo a seguinte documentação:

    a) Curriculum Vitae (CV Lattes);
    b) Súmula Curricular do(a) candidato(a) ao pós-doutorado (instruções em www.fapesp.br/sumula);
    c) Uma carta de apresentação contendo as razões do interesse no desenvolvimento do subprojeto “Classificações e Limites: o trânsito e a multiplicação dos diagnósticos entre as disciplinas, da psiquiatria e psicanálise à educação”;
    d) Duas cartas de recomendação de docentes da área com os quais já trabalhou. 

    Critérios de seleção:

    a) Análise do currículo, quanto à formação acadêmica direcionada para execução do projeto de pesquisa e da Súmula Curricular, relativamente à produção intelectual na área do presente edital;
    b) Análise da carta de apresentação;
    c) Entrevista e arguição do plano inicial de trabalho (08 de novembro de 2019).

    Valor e duração da bolsa:

    A vaga está aberta a brasileiros e estrangeiros. O selecionado receberá Bolsa de Pós-Doutorado da FAPESP no valor de R$ 7.373,10 mensais e Reserva Técnica equivalente a 15% do valor anual da bolsa para atender a despesas imprevistas e diretamente relacionadas à atividade de pesquisa. O desenvolvimento do projeto terá duração de 24 meses.

    Obs.: A comprovação da obtenção do título de doutor(a) deverá ser realizada na data da entrevista, caso o(a) candidato(a) seja selecionado para esta etapa.

    Referências Bibliográficas:

    AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders: DSM-I, II, III, IV, V. Washington: APA; 1952, 1962, 1980, 1994, 2013.

    CATANI, J. Sofrimentos Psíquicos: as lutas científicas da Psicanálise e da Psiquiatria pela nomeação, diagnóstico e tratamento. São Paulo: Zagodoni Editora, 2015.

    DE LAJONQUIÈRE, L. Infância e Ilusão (Psico)Pedagógica: escritos de Psicanálise e Educação. São Paulo, Vozes, 1999.

    LIMA, A. L. G. L. A “criança-problema” na escola brasileira: uma análise do discurso pedagógico. Curitiba: Appris editora, 2018.

    PATO, M. H. Mutações do Cativeiro: escritos de psicologia e política. São Paulo: Hacker Editores; Edusp, 2000.

    SEIXAS, F.R. L. A psicologização da psicanálise em educação: um estudo da conexão psicanálise e educação em São Paulo. Dissertação Mestrado, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2009.

    We hereby announce the opening of a Post-Doctorate Fellow position at the School of Education of the University of São Paulo. The post is linked to the São Paulo Research Foundation-FAPESP Thematic Project entitled “Knowledges and practices at the borders: for a transnational history of education (1810-…)” coordinated by Diana Gonçalves Vidal. Within the main project we welcome applications for the development of the subproject “Classifications and Limits: the transit and the multiplication of diagnostics among disciplines, from psychiatry and psychoanalysis to education”.

    The project outlined here aims at investigating the forms of the presence of classifications and diagnostics coming from Psychiatry and Psychoanalysis in educational discourses. How do the processes of incorporation of knowledges take place in these cases? What are the meanings that medical and psychological/psychoanalytical classifications assume when incorporated to education? We start from the hypothesis that such knowledges are often invoked to challenge pedagogical traditions and to legitimize innovations in educational practices.

    The research takes as its initial timeframe the 1950s, extending up to our days, and making use of sources such as large circulation/dissemination psychology journals, journals specialized in psychiatry, psychoanalysis and education, and the various editions of the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM), in addition to psychology books targeted at teacher education. Much has already been said about the ways in which information from psychology, and scientific explanations in general, are circulated and appropriated. Large volume publications, the Internet, and other media place within the reach of large segments of the population which previously belonged to the domain of specialists.

    As we know, new narratives take shape and contribute to change in a more or less rapid way the forms of educating and living together. Similarly, but in the specific terrain of scientific fields, the borders between disciplines have in many cases became more permeable, in other words, the transfers, integrations and translations, among other processes, take place more frequently and intensely, and the domains of knowledge are continuously reconfigured. Against the background of these observations we place the interest in the ways in which the attempts to medical (psychiatric) and psychotherapeutic denominations/classifications in a broad sense inhabit and shift within educational discourses.

    The question is not new (Patto, 2000; Seixas, 2009; Lima, 2018 among others) and has been analyzed from different angles. A careful examination of the trajectory of incorporations of the areas cited above by education can, on the one hand, bring out evidences of the struggles between disciplines, and on the other hand, also evidences on the way in which of conceptual and theoretical assimilation in educational discourses. If we follow in the last 50 or 60 years the initiatives of denomination/classification/quantification present in psychology we can understand many of the instances of categories of classification and proposals of diagnostics derived for dealing with pupils in schools.

    A careful study of configurations of diagnostic and educational questions associated to medical and pedagogical practices can benefit today, for example, from the examination of the circulation of these knowledges in specialized journals and also those targeted at the population at large (Mente e Cérebro, Psique etc). Thus, the hypothesis of selecting, for example, journals from psychiatry and psychology and journals from the area of education for the systematic study of the above-mentioned issues can be a productive means of understanding. In the same way, the analysis of psychology books today targeted at the education of teachers can help to clarify the processes described here. These sources can also supply evidences to help understanding how and why the relations between the two areas have flourished so strongly in education and often originating teaching practices whose results and impact upon the subjects/pupils are difficult to account for/evaluate. Borders and their mobility come to the fore in these propositions. Limits, escapes and counterpoints: borderlines, autistics and not suitable for integration.

    Who are these subjects, who are the pupils often classified like that unjustly? Would it be possible to arrest the diagnostic wave, the impetus to classify, and then interact/discover/invent ways of dealing with subjects/pupils? Some of these objectives must guide the research outlined here. Therefore, this post-doc fellow will be dedicated to the following activities: (i) To identify in large circulation journals the ways in which information from psychology and psychiatry are disseminated and become no longer the domain of specialists. (ii) To examine the presence and appropriation of such sources within education through the study of pedagogical journals. (iii) To develop a fieldwork in France where the diagnostics of autism and attention deficit are the objects of many debates showing the interfaces articulated to political, school and psychoanalytical questions. It is therefore understood that the activities of this post-doc fellow will be conducted in articulation with the main researchers of Axis 3, without disconsidering the interfaces with the theoretical production of the other professors that comprise this Thematic Project.

    Application information:

    Candidates to this position should contact Prof Ana Laura Godinho Lima through her email (alglima@usp.br) communicating their wish to take part in the selection process, and attaching the following documentation:

    a) Curriculum Vitae of the candidate (Lattes CV);
    b) Curriculum Summary of the candidate (please see instructions on www.fapesp.br/en/6351);
    c) An introduction letter containing the reasons for the interest in developing the subproject “Classifications and Limits: the transit and the multiplication of diagnostics among disciplines, from psychiatry and psychoanalysis to education”;
    d) Two letters of reference from professors from the areas in which the candidate has worked;

    Selection criteria:

    a) Analysis of curriculum pertaining academic formation directed at the conduction of the research project, and of the Curriculum Summary, regarding the intellectual production in the area of the present position;
    b) Analysis of the introduction letter;
    c) Interview and arguing on the initial workplan (to occur on 8 November 2019);

    Value and duration of the Fellowship stipend:

    This opportunity is open to candidates of any nationalities. The selected candidate will receive a FAPESP’s Post-Doctoral fellowship in the amount of BRL 7.373,10 monthly and a research contingency fund, equivalent to 15% of the annual value of the fellowship which should be spent in items directly related to the research activity. The development of the project will last for 24 months.

    Note: Should the candidate be selected for interview, she/he should bring to the interview proof of having a doctorate title.

    Bibliographical references:

    AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders: DSM-I, II, III, IV, V. Washington: APA; 1952, 1962, 1980, 1994, 2013.

    CATANI, J. Sofrimentos Psíquicos: as lutas científicas da Psicanálise e da Psiquiatria pela nomeação, diagnóstico e tratamento. São Paulo: Zagodoni Editora, 2015.

    DE LAJONQUIÈRE, L. Infância e Ilusão (Psico)Pedagógica: escritos de Psicanálise e Educação. São Paulo, Vozes, 1999.

    LIMA, A. L. G. L. A “criança-problema” na escola brasileira: uma análise do discurso pedagógico. Curitiba: Appris editora, 2018.

    PATO, M. H. Mutações do Cativeiro: escritos de psicologia e política. São Paulo: Hacker Editores; Edusp, 2000.

    SEIXAS, F.R. L. A psicologização da psicanálise em educação: um estudo da conexão psicanálise e educação em São Paulo. Dissertação Mestrado, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2009.