English version

Chamada de Propostas - O papel das pequenas empresas nas tecnologias de Controle do Aedes

Sumário 

Propostas submetidas à FAPESP Propostas submetidas ao IDRC
Prazo para submissão: 24 de Setembro de 2018

Modalidade de Fomento: PIPE

Máxima duração dos Projetos: 24 meses

Submissão: propostas devem ser submetidas pelo SAGE

Elegibilidade: pequenas empresas do Estado de São Paulo

Anúncio dos resultados: 22 de fevereiro de 2019

Contato na FAPESP: Patricia Tedeschi (chamada_idrc_pipe@fapesp.br)
Prazo para submissão: 24 de Setembro de 2018
Máxima duração dos projetos: 24 meses
Submissão: propostas devem ser submetidas pelo e-mail aedes_lac_call@idrc.ca

Elegibilidade: outros estados do Brasil, Colômbia e México
Anúncio dos resultados: 13 de novembro de 2018
Contato IDRC: Lucy Gray-Donald (aedes_lac_call@idrc.ca)

 

1. Introdução

O Canada’s International Development Research Centre (IDRC) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) têm a satisfação de anunciar a chamada de propostas sobre o papel das pequenas empresas nas tecnologias de controle de mosquitos Aedes.

A parceria entre o IDRC e a FAPESP visa fomentar a pesquisa e o desenvolvimento em pequenas empresas e outros entes no Estado de São Paulo, Brasil e em outras regiões da América Latina e do Caribe.

As doenças transmitidas por Aedes aegypti e Aedes albopictus constituem uma ameaça relevante e crescente para a saúde pública no Brasil e na maioria dos países da América Latina e do Caribe. A fim de prevenir as doenças transmitidas pelo Aedes, a Chamada visa a apoiar pesquisas aplicadas para o desenvolvimento de tecnologias de controle de mosquitos eficazes para diminuir a abundância e/ou exposição ao Aedes. Novas ferramentas tecnológicas visam contribuir e complementar estratégias de gerenciamento de controle integrado de vetores.

O objetivo da Chamada é promover novas tecnologias de controle de vetores que, em uma etapa subsequente, possam ajudar o sistema público de saúde no Brasil e em outros países da América Latina a prevenir doenças virais transmitidas pelos mosquitos Aedes. Para os fins desta Chamada, entende-se por novas tecnologias de controle de vetores aquelas que reduzem a abundância do mosquito Aedes ou reduzem a exposição de pessoas a picadas de mosquito Aedes.

O escopo desta Chamada inclui o desenvolvimento e/ou teste de novas tecnologias. As propostas com foco exclusivo na absorção, replicação ou produção em escala de tecnologias com uma comprovação sólida de sua eficácia baseada em evidências não serão elegíveis.

Vírus transportados por mosquitos Aedes (Aedes aegypti e Ae. albopictus) tornaram-se um grande problema de saúde na América Latina. Isso determinou uma grande carga de doenças em vários países da região, inclusive no Brasil. A experiência do Brasil e de outros países da região com doenças transmitidas pelo Aedes demonstra que as tecnologias localmente adaptadas baseadas em evidências podem contribuir para a saúde pública, melhorando as estratégias e intervenções de controle de vetores. As doenças transmitidas pelo Aedes incluem o Zika, que causa graves distúrbios congênitos e neurológicos, o Chikungunya, que pode causar sintomas graves e incapacitantes por muitos meses, e a dengue, que continua representando uma ameaça crescente aos sistemas de saúde.

Apesar da recente introdução de vacinas contra a dengue, sua eficácia varia de acordo com as regiões e as idades da população, e nenhuma vacina está disponível para o zika nem o chikungunya. Portanto, é imperativo desenvolver outras abordagens estratégicas preventivas com foco no controle dos mosquitos Aedes. Diferentes abordagens de controle de vetores estão sendo testadas na região, mas ainda não há evidências sólidas de uma única ferramenta eficaz que possa fornecer uma solução eficaz, sustentável e de grande escala. Novas tecnologias podem contribuir com abordagens integradas de gestão de vetores como parte do fortalecimento da resposta de saúde pública. Pequenas empresas de alta tecnologia podem acelerar o tempo de comercialização das tecnologias a serem descobertas / desenvolvidas e, além de melhorar a saúde pública, podem contribuir para o desenvolvimento econômico da região.

2. Parceiros de Financiamento

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), é uma fundação pública com a missão de apoiar projetos de pesquisa em instituições de ensino superior e pesquisa, em todas as áreas do conhecimento, incluindo pesquisa básica e aplicada em universidades, institutos de pesquisa e pequenas empresas. A FAPESP promove atividades de P & D, incluindo novas aplicações científicas à tecnologia. O programa FAPESP de apoio à pesquisa inovadora para pequenas empresas (PIPE) foi criado em 1997. É uma iniciativa de sucesso que apoiou mais de 1.600 projetos de P & D com pequenas empresas no Estado de São Paulo, criando empregos de alta qualificação e desenvolvimento econômico através de P & D de alta tecnologia.

O IDRC, uma Corporação da Coroa Canadense com um mandato para “iniciar, encorajar, apoiar e conduzir pesquisas sobre os problemas das regiões em desenvolvimento do mundo e para os meios de aplicar e adaptar conhecimento científico, técnico e outros ao ambiente econômico e social para o avanço dessas regiões”. Por mais de 45 anos, o IDRC tem apoiado a busca de soluções em saúde, mudanças climáticas, agricultura e ciência e inovação para melhorar as vidas e os meios de subsistência no Sul global. O IDRC, em colaboração com o programa de Pesquisa de Doenças Tropicais (TDR) da OMS, apoiou projetos de controle de vetores de Aedes na América Latina, com base em uma abordagem eco-biossocial e o uso de técnicas para diminuir a abundância e a exposição ao Aedes.

A FAPESP e o IDRC são membros do GloPID-R, uma rede de agências e doadores que promovem novas abordagens para o controle de doenças infecciosas emergentes, incluindo o zika. A parceria proposta do IDRC-FAPESP estimulará a colaboração sul-sul para o desenvolvimento de tecnologias inovadoras de controle de vetores, com foco na prevenção do zika e outras doenças transmitidas pelo Aedes.

3. Objetivo geral

Promover e avaliar o papel das pequenas empresas no desenvolvimento de novas tecnologias de controle da Aedes que ajudarão os sistemas de saúde pública no Brasil, Colômbia e México a prevenir e gerenciar ameaças e surtos de doenças transmitidas pelo Aedes.

4. Objetivos específicos

1. Desenvolvimento e/ou teste de novas tecnologias de controle de mosquitos que sejam eficazes para diminuir a abundância e/ou exposição ao Aedes por pequenas empresas no Estado de São Paulo (Brasil).

2. Desenvolvimento e/ou teste de novas tecnologias de controle de mosquitos por pequenas empresas ou instituições que trabalham com pequenas empresas em outros estados do Brasil (exceto o Estado de São Paulo), na Colômbia e/ou México, que sejam eficazes para diminuir a abundância e/ou exposição ao Aedes.

3. Promoção do plano de desenvolvimento de uso de tecnologia com o objetivo de contribuir em um estágio futuro com a adoção de tecnologias de sucesso e o fortalecimento dos esforços de saúde pública na prevenção de doenças transmitidas por Aedes nos três países.

4. Exploração do potencial e das oportunidades de intercâmbio e/ou colaboração futura em estudos e países selecionados.

5. Escopo e duração do financiamento

A FAPESP apoiará 2 projetos em pequenas empresas do Estado de São Paulo, enquanto o IDRC apoiará outros dois projetos para pequenas empresas ou instituições que trabalham com pequenas empresas de outros Estados do Brasil, Colômbia ou México. Embora a FAPESP aceite exclusivamente propostas de pequenas empresas, o IDRC aceitará propostas de pequenas empresas ou de instituições que trabalham com pequenas empresas.

As quatro propostas selecionadas (2 financiadas pela FAPESP no Estado de São Paulo e outras 2 financiadas pelo IDRC em outros Estados do Brasil ou da Colômbia ou México) não devem ser propostas conjuntas ou vinculadas. As propostas devem ser apresentadas separadamente. As propostas selecionadas serão convidadas para um workshop inicial e final, onde as relações de trabalho ou intercâmbios serão incentivados, mas não são obrigatórios.

As propostas apresentadas ao IDRC não precisam envolver mais de um Estado do Brasil ou mais de um país na submissão. As propostas do IDRC podem envolver mais de uma pequena empresa ou instituição dos três países elegíveis (do mesmo país ou de país diferente), mas as propostas devem ser apresentadas por apenas uma instituição ou empresa de pequeno porte atuando como principal solicitante. O IDRC só negociará acordos de financiamento com a organização principal da proposta.

Cada concessão terá uma duração de 2 anos.

A FAPESP e o IDRC realizarão avaliações independentes de cada proposta de pesquisa, de acordo com suas Leis / Regulamentos Nacionais / Institucionais.

Para esta chamada, o IDRC e a FAPESP contribuirão com o equivalente a CAD 400.000 (quatrocentos mil dólares canadenses), equivalentes a R$1.240.000,00 cada. Um orçamento total de CAD 800.000 (oitocentos mil dólares canadenses), equivalentes a R$2.480.000,00 foi alocado para esta chamada conjunto.

Até o equivalente a CAD 200.000 (R$620.000,00) estará disponível para cada projeto ao longo de 24 meses.

6. Condições de financiamento

Ambas as agências esperam (mas não exigem) que as propostas vencedoras adotem uma atitude aberta no sentido de incluir algum grau de interação e/ou intercâmbio entre projetos selecionados.

No início do período de concessão, o IDRC apoiará um workshop inicial com a participação de todos os beneficiários, com o objetivo de compartilhar abordagens para tecnologias de controle de vetores, analisando fatores que afetam a capacidade de acelerar o tempo de lançamento de novos produtos discutem as estratégias para o uso de resultados e o envolvimento de stakeholders estratégicos.

Após a conclusão dos projetos, um workshop final reunirá os beneficiários e as autoridades de saúde pública de cada região beneficiária para avaliar e promover a aplicabilidade dos resultados.

Este workshop final também poderá ser coordenado conjuntamente com outros eventos focados no controle do vetor Aedes, ou qualquer uma das doenças transmitidas por vetores relacionadas a esta chamada de propostas, para aumentar o alcance da parceria FAPESP-IDRC e resultados com outras agências e atores neste campo.

Ao enviar uma proposta, os pesquisadores aceitam participar ou serem representados no Workshop inicial e final, bem como convocar autoridades de saúde pública interessadas nas tecnologias propostas.

As datas destes Workshops serão anunciadas com pelo menos um aviso prévio de 3 meses e as despesas de viagem serão cobertas pelos organizadores.

7. Diretrizes e critérios de elegibilidade

O escopo desta Chamada inclui o desenvolvimento e/ou teste de novas tecnologias. As propostas com foco exclusivo na absorção, replicação ou escale up de tecnologias existentes que já tenham uma avaliação sólida de sua eficácia baseada em evidências não serão elegíveis.

8. Elegibilidade geográfica

Os candidatos devem ser do Estado de São Paulo (submissão à FAPESP) ou de outros Estados do Brasil, Colômbia e México (submissão ao IDRC).

9. Propostas submetidas à FAPESP

Solicitantes de pequenas empresas do Estado de São Paulo devem enviar sua proposta à FAPESP. Veja www.fapesp.br/pipe para definição de pequenas empresas pela FAPESP.

Os candidatos devem cumprir integralmente os critérios de elegibilidade da FAPESP e seguir as diretrizes de submissão, conforme descrito em www.fapesp.br/pipe para o PIPE Fase 2 - Direta (PIPE Fase 2 Direta). O pesquisador deve escolher a opção IDRC - PIPE- Fase 2 Direta (Chamada de Propostas 2018).

Para esta chamada, o orçamento é limitado a R $ 620.000,00 por projeto

10. Propostas submetidas ao IDRC

Candidatos de outros Estados do Brasil, Colômbia e México devem enviar sua proposta ao IDRC. O candidato principal pode ser uma pequena empresa ou outra instituição que trabalhe com uma pequena empresa no desenvolvimento de tecnologias de controle de vetores do Aedes. Para os candidatos do IDRC, as pequenas empresas são definidas como entidades privadas (sem fins lucrativos ou com fins lucrativos) com menos de 250 funcionários.

O IDRC só negociará acordos de financiamento com a organização principal da proposta.

A organização solicitante líder deve cumprir integralmente os critérios de elegibilidade do IDRC. A proposta deve seguir as diretrizes de submissão (incluindo os custos orçamentários permitidos) descritas nas diretrizes para o desenvolvimento de uma proposta completa para o IDRC: https://www.idrc.ca/en/funding/role-small-business-aedes-control-technologies

Para esta chamada, o orçamento do IDRC é limitado a CAD $ 200.000,00 por projeto

11. Processo de avaliação

Em uma primeira etapa, o IDRC e a FAPESP irão, de forma independente, de acordo com seus próprios critérios, selecionar propostas para garantir sua elegibilidade (consulte as Diretrizes e Critérios de Elegibilidade correspondentes) e realizar uma análise de relevância com base em seu alinhamento com os objetivos da Chamada. As propostas que não cumpram os critérios de elegibilidade e/ou relevância serão denegados.

Em um segundo momento, a FAPESP e o IDRC realizarão avaliações independentes de cada proposta conjunta de P & D, de acordo com suas Leis / Regulamentos Nacionais / Institucionais.

12. Critério de avaliação

Propostas apresentadas à FAPESP:

Para apoiar os objetivos da chamada, a FAPESP seguirá os critérios de avaliação do Programa PIPE (www.fapesp.br/pipe)

Propostas apresentadas ao IDRC:

Para apoiar os objetivos da Chamada, os seguintes critérios de avaliação serão usados ​​pelo IDRC e devem orientar o desenvolvimento da proposta:

1) Relevância da proposta (20%)

2) Qualidade e viabilidade da proposta (20%)

3) Planos de Projeto (20%)

4) Qualidade de Equipe e Instituições (20%)

5) Impacto Potencial (20%)

Nota: veja os critérios de avaliação detalhados nas Diretrizes para propostas completas (https://www.idrc.ca/en/funding/role-small-business-aedes-control-technologies)

13. Submissão

A chamada será lançada simultaneamente pelo IDRC e pela FAPESP e anunciada nos dois sites.

Prazo de envio: 24 de setembro de 2018.

As propostas recebidas após o prazo de envio NÃO serão consideradas.

Candidatos do Estado de São Paulo devem submeter a proposta à FAPESP em português.

Candidatos dos outros Estados do Brasil, Colômbia e México devem enviar sua proposta ao IDRC em inglês.

Candidatos do Estado de São Paulo devem seguir as diretrizes da FAPESP (www.fapesp.br/pipe) e submeter suas propostas através do seguinte do SAGE: www.fapesp.br/sage

Candidatos de outros Estados do Brasil, Colômbia e México devem seguir as diretrizes para o desenvolvimento de uma proposta completa para o IDRC (https://www.idrc.ca/en/funding/role-small-business-aedes-control-technologies) e enviar suas propostas para o endereço de e-mail: aedes_lac_call@idrc.ca

14. Datas importantes:

Lançamento de chamadas: 23 de julho de 2018
Prazo de envio: 24 de setembro de 2018
Anúncio do IDRC das propostas recomendadas: 13 de novembro de 2018
Anúncio da FAPESP das propostas recomendadas: 22 de fevereiro de 2019